A higienização adequada dos tanques de expansão, local de armazenamento do leite cru refrigerado, é uma das etapas fundamentais para garantir a manutenção da qualidade do leite e seus derivados. “Tratam-se de procedimentos simples, mas que muitas vezes por falta de informação não são feitos de forma correta pelas agroindústrias, o que acarreta a contaminação do leite e de seus derivados”, conta o analista da área de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agroindústria de Alimentos, André Dutra. A ordenha do leite deve ser realizada de acordo com as Boas Práticas Agropecuárias (BPA), que garantem a higiene do procedimento. O produto é encaminhado para a etapa de refrigeração nos tanques de expansão, antes de ser beneficiado. Para manter a qualidade dessa matéria-prima, é fundamental que os tanques sejam perfeitamente higienizados, em conformidade com as práticas recomendadas de higienização. A operação de higienização compreende duas etapas: limpeza e sanitização. A limpeza é entendida como procedimento para remoção de sujidades visíveis e invisíveis como gorduras, proteínas e minerais. Já a sanitização tem como objetivo a eliminação ou redução de microrganismos patogênicos e deteriorantes. “O uso de escovas com cerdas plásticas e soluções sanitizantes adequadas e, principalmente, a utilização de água com qualidade assegurada garantem eficiência na operação”, conclui Dutra. Embrapa: Dia de Campo na TV

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + doze =

Top